7 de setembro: Senadores defendem direito de manifestação, mas pedem respeito à democracia em 7 de setembro

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que o direito à manifestação é uma das maiores conquistas da democracia. Mas ele se juntou a outros senadores para pedir que os atos marcados para o feriado de 7 de setembro respeitem as instituições e o estado democrático de direito. Já o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) disse que a presença do povo nas ruas é necessária para denunciar o que ele chamou de perseguição ao pensamento conservador.

 

Transcrição
O PRESIDENTE DO SENADO DISSE QUE O DIREITO À MANIFESTAÇÃO É UMA DAS MAIORES CONQUISTAS DA DEMOCRACIA. MAS RODRIGO PACHECO SE JUNTOU A OUTROS SENADORES PARA PEDIR QUE OS ATOS MARCADOS PARA 7 DE SETEMBRO RESPEITEM AS INSTITUIÇÕES E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO. A REPORTAGEM É DE MAURÍCIO DE SANTI

Para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, as manifestações de sete de setembro convocadas pelas redes sociais contra e a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro são legítimas e refletem o que há de mais bonito na democracia, que é o direito da livre expressão. Mas ele cobrou serenidade a uma minoria que tem defendido ações antidemocráticas, como o fechamento do Supremo Tribunal Federal ou mesmo do Congresso Nacional. Para Pacheco, as manifestações devem ser pacíficas e respeitar o estado democrático de direito. É até um contrassenso alguém defender frustração da Democracia ou retrocesso, se manifestando. Porque a manifestação é própria dela, da Democracia. Então, isso tem que ser preservado, tem que ser garantido. Obviamente, que pontos de manifestação de um modo geral, qualquer que seja ela, por qualquer meio que seja, que vise retroceder a Democracia, que vise não ter eleições ou ter algum tipo de intervenção, ou autoritarismo ou totalitarismo, isso tem que ser rechaçado, porque isso não é democrático, isso não é patriótico e obviamente que isso tem que ser repelido. Também o senador Alvaro Dias, do Podemos do Paraná, lembrou que algumas convocações para as manifestações atentam contra a democracia. Nós verificamos absurdas pautas antidemocráticas, e há aqueles que, a pretexto de defenderem a liberdade de expressão, acabam por condenar a democracia, contribuindo para a fragilização das instituições democráticas no País. A defesa da democracia é essencial num momento crucial para o futuro do País. Mas o senador Eduardo Girão, do Podemos do Ceará, entende que a presença das pessoas nas ruas, de forma pacífica, no sete de setembro, é necessária para denunciar o que ele chamou de “perseguição às ideias conservadoras” Uma verdadeira caçada ideológica contra jornalistas, sites, blogs e produtoras que cometem, entre aspas, o “grave crime” de difundirem ideias conservadoras ou de criticarem comportamentos abusivos de autoridades. A segurança na Esplanada dos Ministérios foi reforçada para evitar tumultos e vandalismos nas manifestações. Em virtude da pandemia, o Ministério da Defesa cancelou pelo segundo ano seguido o desfile militar em Brasília.

Da Rádio Senado, Maurício de Santi

 

Da Redação

Da Redação

Deixe seu comentário